Tem dia que à noite é foda. Acho que a maior testemunha deste sábio dito popularesco é o Marcus, proprietário de um blog de notícias sobre o mundo Sertanejo, o Blognejo. O problema dele, veja abaixo, é ser acordado durante a noite para receber música. Eu não ficaria bravo se no meu dia a dia pessoas resolvessem jogar música em mim por aí, mas quando isso acontece às três da manhã, aí, sou obrigado a concordar com ele.

Irritado, Marcus foi ao Facebook para dar um basta na situação:
postagemblognejo-01

O placar dos comentários foi o seguinte:

Opção 1 (mandar os compositores irem passear): 2 comentários
Opção 2 (cobrar R$ 300 pelo serviço): 38 comentários
Pessoas se condoendo com a situação: 18 comentários
Tiração de sarro dos amigos: 13 comentários
Resposta do autor (educadas): 2 comentários

Como é típico do Facebook, no meio do assunto alguns tiraram outras dúvidas, deram diferentes sugestões, do tipo “desligue o seu celular de madrugada, oras”, que ele infelizmente não pode fazer, porque usa o Whatsapp para manter-se informado para o blog.

Esta semana conversei rapidamente com o Marcus para entender melhor a situação e como ele trabalha e deu para esclarecer muitas coisas. Uma das primeiras conclusões que tirei (a partir dos comentários) foi que assedio musical é meio comum. Dos 18 comentários de pessoas compreendendo a situação, meia dúzia de três ou quatro eram de pessoas que passam saia justa e recebem vários pedidos semelhantes.

De onde se conclui que, sinal de que você está indo bem na carreira é que a galera cola na sua como se não houvesse amanhã.

Outra conclusão que eu senti é que a galera tá num desespero muito grande. Eu imagino que ser compositor seja uma grande dor. Você sua sangue em cima de uma obra de arte e de repente não tem ninguém para mostrar. E, claro, ter uma música sua no disco (enquanto existirem discos) de uma pessoa de grande exposição de mercado deve ser muito bacana e tum bom impulso na carreira.

Você deve ter notado que eu, justamente eu, não falei da grana. Não sei quanto um compositor pode ganhar numa dessas, mas sei que o contrato de cessão de direitos autorais pode ser escrito de qualquer maneira e o que for escrito nesse contrato vale. Não há uma lei soberana que regulamente isso, como as leis trabalhistas corrigem situações de trabalho injustas, independente do contrato entre patrão e funcionário. Eu ouvi de um produtor musical uma vez que a Sandy (leia-se a equipe dela) paga R$ 3 mil por composição com cessão de direitos integral (ou seja, o compositor não recebe mais nada) e de prazo indeterminado (ou seja, o contrato vale até a música se tornar domínio público).

Mas, apesar dessas condições, ter uma composição na em uma novela da Globo ou no disco do Bruno e do Marrone pode ser um impulso na carreira. Porém, quando o compositor fala “mostra lá para os caras e a gente combina uma porcentagem”, isso demonstra um grande desespero. E, como em qualquer mercado, se o vendedor demonstra que está desesperado para vender, isso só pode querer dizer que ele está falido ou que o produto não é grande coisa. Você compraria um carro de alguém que fala algo como “por favor, compre logo!” ou “aceito qualquer valor que você oferecer”?

Outra conclusão que também demonstra um descaso com o próprio produto, é a proposta de dividir os créditos da composição e, portanto, uma parte da possível remuneração. Essa atitude me deixou bastante incomodado por dois motivos:

1) como o próprio Marcus disse em sua postagem, é muito errado (moral e legalmente) alguém ter crédito em uma composição da qual não participou. Mais errado ainda é o compositor desvalorizar a própria composição permitindo que cada pessoa em seu caminho tome uma parte. Aliás, se a única coisa que o compositor tem para vender são suas composições, porque vai ficar distribuindo pedaços dela?

2) se a proposta é – e eu recebo toneladas dessas – se der certo você recebe, isso necessariamente quer dizer que, se não der certo, ninguém recebe. Contrato de risco é uma coisa. Isso é trabalhar de graça. E o trabalho de gerar dinheiro é algo muito desvalorizado no mundo das artes. Aliás, em geral a pessoa que gera o dinheiro é vista como o explorador, desconectado da criação artística. Não tem nada a ver. Sou um zero a esquerda em qualquer atividade artística (mas até que eu escrevo direitinho), mas isso não quer dizer que eu não seja apaixonado pelas artes todas. O fato de que você não está disposto a investir no seu produto também deixa claro que você não bota muita fé nele. Existem produtores, agenciadores, empresários das artes e todos eles vão cobrar pelo serviço. Pegar ou largar. Oferecer uma possível remuneração caso algo venha a dar certo um dia é exatamente o que o dono de bar faz quando propõe ao músico receber couvert artístico enquanto o bar dele não tem movimento, mas quando enche, oferece um cachê fixo (baixo, lógico). Você aceitaria essa proposta?

Ao longo da carreira de um compositor, de um escritor, de um dramaturgo, e provavelmente outros artistas, algumas personalidades vão aparecer no horizonte que aparentam serem uma excelente oportunidade de negócios. Pode ser. Pode não ser. Ter relacionamentos é importante, saber se conectar com as pessoas também. Existem picaretas por aí, entenda, mas existem profissionais sérios também. Cabe a você, antes de sair rifando o seu produto artístico para a geral, conhecer as pessoas, saber como trabalham, como pensam, etc. Por exemplo, em nossa conversa, o Marcus me explicou que ele não tem muito mais contato com os cantores e produtores do universo sertanejo mais do que a cobertura que ele faz dos eventos e uma eventual entrevista. Então ele sabe encontrar os cantores, porém não é (ainda) um agenciador de composições e, provavelmente vai poder repassar as músicas, mas sem oferecer nenhuma garantia.

Além disso, ele explica deixando claro para todo mundo, não é assim que os artistas de projeção normalmente encontram as músicas que vão gravar em seguida. Portanto, importunar o Marcus sem o conhecer não só é deselegante, como ineficiente. Especialmente se ele for importunado de madrugada e receber a sua música xingando, coisa que olha, eu entendo perfeitamente.

Resultado: o Marcus já está se especializando, preparando material, reaquecendo contatos e, oficialmente, abriu essa área no site:

blognejo2Placar dos comentários:

Congratulações pela iniciativa: 18 comentários
Pessoas marcando outras pessoas: 4 comentários
Tiração de sarro dos amigos: 6 comentários
Pessoas polemizando: 2 comentários

Tá na hora de tirar o escorpião do bolso, turma.

 

 

Comentários

comments