Músicos brasileiros de hoje, sem gravadora, sem empresários, sem produtora nos ensinam uma lição muito boa sobre a fragilizada imprensa nacional: é possível chamar a atenção deles.

Aparecer nos jornais e TV é muito importante, mas infelizmente, possui um efeito nulo. Falo por experiência, apesar da muito muito pouca experiência profissional com a imprensa. Mas algumas coisas, a pessoa saca. A gente tem que fazer o melhor com o pouco que a vida dá, não é?

Uma das coisas que eu fiz foi estar na televisão. Uma vez, por ocasião do lançamento do meu primeiro livro. Afirmo e reafirmo, o resultado foi nulo. Algumas pessoas conhecidas me ligaram. Mas não, não vendi horrores de livros. Aliás, não vendi porra nenhuma. E ói que foi na Globo e não foi no meio da madrugada. Alguns amigos passaram pela mesma experiência. Estiveram no Programa do Jô. Também, nenhuma fama e fortuna.

Ao longo dos meus anos de produção, acompanhei um bom tanto de artistas em entrevista em rádios, tvs e jornais locais. Interessante, mas nenhuma fortuna tampouco, nem para o artista, nem para a produção.

Por que? O quiquitacontecendo? Então vale a pena correr atrás de aparecer? Vale. Mas primeiro, mantenha em mente três fatores importantes:

1) Crise

A imprensa hoje, está capenga. É demissão atrás de demissão, atrás de demissão. E não é só na imprensa brasileira. Tem muito gringo dançando. Manter um órgão de imprensa é bem caro e graças à sua olhada rápida pelo UOL de manhã, jornais e revistas estão vendendo cada vez menos.

2) Velocidade e atualidade

A gente quer saber do que está acontecendo hoje e agora. E os jornais não terão a velocidade de uma população de uma cidade inteira pendurada no twitter. E os jornalistas que sobraram na redação, tem que ser rápidos no gatilho pois estarão sobrecarregados. Isso envolve apurar a notícia (publicar mentira pega meio mal e dá processo), redigir, publicar e estar atualizado. Mas depois de um tempo você começa a sacar que tem muito jornalista que já publica o release que recebe inteiro, sem mudar uma vírgula.

3) Venda pela capa

O jornal precisa vender. E vender bem. O preço do jornal ou da revista na banca ou para o assinante não é exatamente relevante para o faturamento da empresa, mas os números de circulação são fundamentais para os preços do anúncio. Como eles podem fazer isso? Colocando coisas na capa que sejam atraentes. E o que é atraente? Aquilo que você conhece e gosta.

Resultado do jogo, a imprensa é, e está cada vez mais, Maria-Vai-com-as-Outras, buscando segurança, ou seja conteúdo rápido e pronto para atrair leitores.

Sua mãe nunca leu esse livro? Corra para a livraria.

Sua mãe nunca te leu esse livro? Corra para a livraria.

Então, se você quer estar na imprensa uma vez, basta ligar na redação e ter fotos, vídeos e texto de boa qualidade no gatilho. Simples assim. E acontece, já que a maioria dos órgãos de imprensa tem uma seção de cultura. Ao menos uma vez você aparece lá.

Mas, se o resultado para a sua carreira será nulo, porque isso importaria?

E não importa mesmo. O que você quer é aparecer sempre ou a cada novidade na sua carreira. E aparecer em TODOS os órgãos. A Globo não é essa soberania toda que o populacho acha que é.

Aí o kit foto, vídeo e release são fundamentais, mas não o suficiente, porque isso não preenche o quesito 3 dos fatores acima. Você não atrai leitores, e portanto, não atrai imprensa.

Por sorte, você tem como conseguir seu próprio público. E aí a imprensa vai prestar atenção. Mas, claro tem que ser MUITO público. Como tem o Liniker, que não tem agente, empresário, produtor, tem apenas 20 anos de idade e está na imprensa.  até didático que essa reportagem e essa reportagem deixem a dica logo na manchete. Ambas explicam, quase pedindo desculpas por noticiar alguém desconhecido, que essa pessoa teve não sei quantas milhões de visualizações no Youtube. É o fenômeno Mallu Magalhães (que apareceu no mundo pelo Myspace) se repetindo. Aliás, em caso de curiosidade, o Myspace dela ainda existe.

Não é que as pessoas “de repente” descobriram esse ou aquele artista. A verdade é que esse artista aos poucos foi angariando público e aí a imprensa percebeu e começou a noticiar, na esperança de atrair para si, o público daquele artista (e, claro, estar atualizada). Ou seja, se você não está ainda buscando uma base de fãs fiéis, pode acreditar, a imprensa vai se lixar para você.

E é por conta disso que a gente às vezes se depara com algumas maravilhosas pérolas da imprensa nacional:

caetanoatravess-01

sim, isso existe

Melhor você começar a fornecer notícias melhores, não é?

E agora a gente vai assistir um clipe do Liniker para aumentar os números de visualizações dele, porque eu gosto muito mais de Liniker do que de Mallu Magalhães.

 

 

 

Comentários

comments